Coluna da Carol – Ladurée Sucré – Parte II

Meninas,
Vou contar para vocês que depois dessa grande aventura de tentar fazer macarons, eu prometi para mim mesma que vou aproveitar e dar valor em cada macaron que eu comer daqui para frente.
Quando decidi embarcar nesse desafio, não tinha idéia dos detalhes envolvidos para fazer esses quitutes deliciosos. Bom, agora vamos lá, hora dos detalhes.
Decidi que ia fazer macarons de chocolate, já que com chocolate, não tem erro, todos da minha família comem de monte e gostam. Comecei a receita preparando o ganache de chocolate, que depois de pronto, tem que ficar por 1 hora na geladeira, antes de ser colocado como recheio do macaron.
Depois, para o preparo das conchinhas de macarons, contei com a ajuda da minha mãe querida, Angela. O mais dificil e diferente da receita foi o simples fato de que tem que adicionar 6 claras em neve, e no fim ½ clara batidinha de leve… MEIA! Eu pensei comigo mesma, como assim? Como vou separar um ovo inteiro em dois…?
Os macarons ficaram apenas 15 minutinhos no forno, e antes de juntar as conchinhas, tiveram que resfriar bem, para depois adicionar o ganache. Quando tudo já estava pronto, e todos aqui com água na boca e prontos para comer…o livro avisa que para que o sabor realmente pegue no macaron e dê para sentir aquele gostinho de amêndoa, essas delicinhas francesas tem que ficar no mínimo 12 horas, em uma tupperware bem fechada, na geladeira. Conclusão, tivemos que esperar uma noite inteira para comer os quitutes.
Mas vou contar para vocês, a espera valeu, e muito, a pena. QUE delicia que ficaram. Acertei na receita, e estou super orgulhosa, já que, como havia mencionado, muitos não conseguem de primeira acertar na receita. Alguns saíram rachadinhos, mas o próprio autor do livro pede para que não desanimarmos se eles saíram rachados, porque o gosto é o mesmo.
O mais difícil é conseguir que a base do macaron cresça e pareça como uma cama de bolhinhas de chocolate, o que deu certo, e dá para vocês verem nas fotos. Mas o ideal seria essa cama de bolhinhas ter saído um pouquinho mais alta, mas aí acho que a influência do clima e usar ingredientes brasileiros (estou de ferias no Brasil), alterou um pouquinho o resultado. Por exemplo, pelo açúcar aqui ser de cana e na Europa de batata ou beterraba; ou a manteiga, que no Brasil não tem a mesma concentração de gordura do que a manteiga francesa.
Agora estou com 50 macarons deliciosos na geladeira, e a dieta foi por água a baixo…Está difícil de comer só um…

Girls,
I have to tell you that after this great adventure in trying to bake macarons, I promised myself that, from now on, I will cherish the moment and every single macaron I eat.
When I decided to take this challenge, I had no clue of the details involved in making these delicious sweets. Now, the fun part, let’s talk about the details.
I decided to make chocolate macarons, since you can’t go wrong with chocolate. I started the recipe by preparing the chocolate ganache, which after being ready, had to stay in the fridge for 1 hour, before adding them as a filling of the macaron.
Afterwards, for the baking of the macaron shells, I had the help of my mom, Angela. The hardest part was that the recipe takes on 6 egg whites, and at the end, you have to add ½…yes HALF an egg white beaten until frothy. So I thought to myself, how am I going to separate HALF an egg white? Anyways…
The macarons stayed for only 15 minutes in the oven, and after to put the shells together they had to cool down completely, before adding the ganache. When everything was ready, and everyone here was craving for macarons…the book tells you that for the flavor to really grasp on them, and we can feel the almond flavor, it had to stay for a minimum of 12 hours in a tightly sealed tupperware, in the fridge. In conclusion, we had to wait the whole night to eat them.
But, I’ll tell you that the wait was worth it. It turned out DELICIOUS. I got the recipe right, and I’m proud of myself, since, as mentioned before, several cooks didn’t get it right the 1st time. Some of them came out a bit cracked, but the author himself tells us not to lose hope, since these cracks don’t alter the taste. The hardest part is actually to get that the macaron base grows with a bed of mini bubbles under them, which I managed to, as you can see from the pictures. Ideally, this bed of bubbles had to be a bit taller/thicker, so I think that the climate and the Brazilian ingredients that I used (I’m on vacation in Brazil at the moment), altered the end-result a bit. For instance, here the sugar is made of sugar cane, and in Europe it’s made mostly out of potato or red beet; or the butter, which in France has a higher concentration of fat, than the Brazilian butter.
Now I have 50 delicious macarons sitting on my fridge, and that has ruined my diet…It’s hard to just eat one…

Uma opinião sobre “Coluna da Carol – Ladurée Sucré – Parte II

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s